80% DOS PORTUGUESES SÃO BURROS, OS RESTANTES NÃO TÊM TEMPO PARA A INTERNET!

quinta-feira, maio 19, 2005

DA-SE! VERSÃO I

Por culpa deste FULANINHO tive de responder a este inquérito.

O que fazes neste momento?
Neste momento estou a ler um livro de um escritor checo em língua alemã e a comer um arroz de pica no chão.


Quanto à técnica narrativa, na obra de Kafka (escritor checo que escreve em Alemão) o narrador confunde-se exactamente com a sua pessoa (confunde-se com você), isto é, praticamente desaparece (é muito magro). O romancista não domina o mundo que descreve (não faz a mínima ideia do que está a escrever), mas que o padece (sofre de perturbações mentais); isto explica a ausência de uma dimensão moral ou política na sua obra (anarquista).

Quanto ao arroz está muito bom, o estrugido foi muito bem feito, cebolinha brava, alho, sal grosso, malagueta e azeite virgem com baixo teor de acidez. Logicamente que o arroz tem de ser carolino, pois o agulha não é o indicado para fazer o arroz de pica no chão.

Planos para o fim de semana?
Vou levantar dinheiro ao Multibanco para jogar no totoloto e ficar à espera do sorteio, isto no Sábado. No Domingo de manhã vou levantar dinheiro ao Multibanco, levo o carro a lavar para poder ir ao shopping da parte da tarde. Saio sempre por volta das duas horas para ainda arranjar lugar nas mesas perto do Macdonalds.

Que coisas te causam stress neste momento?
Acho que o stress devia ser proibido em Portugal, é uma vergonha!
Stress é para os estrangeiros.

Que fizeste desde que acordaste?
Uiiii, tanta coisa! Tomei banho, pequeno-almoço, saí de casa, meti-me no carro, cheguei ao escritório, liguei o computador, cocei a micose, saí do escritório, meti-me no carro, cheguei a casa, fui almoçar, dormi meia hora, saí de casa, meti-me no carro, cheguei ao escritório, sentei-me em frente ao computador, cocei a micose, saí do escritório, fui lanchar, voltei para o escritório, sentei-me em frente ao computador, cocei a micose, saí do escritório, meti-me no carro, fui para casa, jantei, deitei-me no sofá, adormeci, acordei, cocei a micose e agora estou a responder a isto.

A quem passas este inquérito fantástico?
A ninguém! Já torturei muita gente durante o holocausto nazi e estou arrependido
.